Capítulo 7: Primeira Captura da Marjorie. Mel e Urso para uma Batalha


Depois de mais um dia em Camphrier o trio enfim passa pela Connecting Cave, nome esse por conectar-se a três diferentes árias, levando uma à outra. A caverna também é conhecida por “Zubat Roost”, foi apelidada assim por aparecer muitos desse morcego. — Esse Pokémon é detestado por muitos treinadores por sua grande quantidade em diversas cavernas de todas as regiões, com exceção de Unova onde o morcego mais frequente é o Woobat.
A caverna tem duas entradas na rota 7, eles pegaram a mais baixa escondida na grama alta, e por ela chegam à rota 8, Muraille Coast. A rota 8 leva a Ambrette, pegaram a entrada errada para Cyllage… mas resolvem continuar, enfrentar mais morcegos estava fora de questão.
A turma sai às pressas da caverna, foram atacados por vários Zubat que dormiam até serem acordados por eles.
— Comprar repelente na primeira loja que pararmos… — exclama o Aren.
— Acho que um deles me mordeu… — choraminga a Marjorie.
— Nem consegui usar a Pokédex para registra-los… — comenta o Kaito.
— Para quê tanto drama com esses Pokémon? — Ori se aborrece com os vários lamentos.
Porque sim, aqueles bichinhos são chatos. — defende o Ralts.
Lopunny não diz nada, só tira a poeira do corpo, quietinha. Ela está sem o moletom azul. O jogou fora porque já estava bem gasto e não lhe servia mais como “camuflagem”, além de ser mais confortável andar sem ele. — Os outros estão em suas esferas.
A rota 8 tem o relevo muito alto, como o próprio nome sugere, estão sobre a muralha que cerca as cidades da costa de Kalos, Ambrette e Cyllage. O lugar todo é feito de paredes escarpadas e pelo há chão muitas pedras de vários tamanhos e formas. Tem que ter cuidado ao andar pelo local. A vegetação é mais abundante ao redor da muralha que nela mesma, árvores e grama alta com Pokémon escondidos.
Um Spoink que Marjorie fez menção de agarrar fugiu assim que teve a chance. Aren a impediu do ato. Sua cauda de rolha é conectada ao coração, se ele parar de pular, ele morre.
Pokémon pequeno de corpo oval, focinho de tomada e pequenos olhos escuros. Tem dois curtos bracinhos e no lugar dos pés é sua longa cauda em espiral. Há uma grande pérola em sua cabeça entre as orelhas, essa pérola canaliza seus poderes psíquicos. O Pokémon todo é lilás e sua pedra idem.
Marjorie olha triste para onde o porquinho se escondeu, ela quer um segundo Pokémon para o concurso e ainda não ousou pedir a Lopunny.
— Por que não pergunta a Lopunny se ela quer fazer parte da sua pequena equipe? — pergunta o Aren. Ele observa Marjorie chateada resmungando algo baixinho.
— Hã?… ah, mas… ela parece não gostar muito de humanos. Só está com a gente por causa de Ori e Scare que a convenceram até ela sumir de novo… queria poder cuidar dela. — Ela volta a si deixando o Spoink de lado, mas ainda depressiva.
— Tente ganhar a confiança dela. Eu não tento porque ela é mais desconfiada com homens… percebi que ela me olha feio e se afasta irritada se me aproximo.
— É, aquele ex-dono dela é homem… e parecia ser mal. Vou tentar, serei amiga dela! — A garota se anima olhando para a coelha que está distraída.

{…}

Ainda na muralha param na metade do caminho por causa do grande poço de lama que está ocupando todo o espaço da estrada. Para chegar ao outro lado tem que pular sobre as pedras dentro do poço. Tem algumas espalhadas formando um caminho dispostas como num puzzle. Caso errem a pedra, é escorregar e se enlamear.
— Vamos, Aren. Só falta você para atravessar!
Marjorie humilha o único a ficar para trás no “puzzle de lama”. Ela atravessou com Ralts usando teleporte, e Kaito se apressou em pegar carona com os dois. Ori e Lopunny saltaram sobre as pedras facilmente.
Por zoação, deixaram Aren para trás… não é tão hábil para se equilibrar em pedras, que em maioria, tem o espaço fora da lama bem pequeno.
— Isso é sujeira! — Aren grita do outro lado, e antes que Marjorie pedisse a Ralts para pega-lo, uma figura se aproxima do garoto.
— Eu posso te ajudar.
Uma voz feminina surge detrás do desolado. É uma garota mais alta e com certeza mais velha que ele que para ao seu lado. O olha com um sorriso confiante.
Ela tem a pele clara levemente bronzeada, talvez viva por aquelas redondezas ou viaja muito sob o sol, em suas costas carrega uma mochila muito grande para um corpo tão magro. Seu longo e volumoso cabelo preto está preso num rabo-de-cavalo alto com um laço vermelho. Ela veste uma camiseta vermelha que deixa parte da barriga a mostra e uma bermuda preta com bolsos laterais. Está descalça.
— Oi, eu sou Melizzana, mas pode me chamar só de Mel. — A garota estende sua mão direita para Aren que a cumprimenta normalmente.
— Aren, e aqueles dois traidores são Marjorie e Kaito. Os Pokémon são; o Lucario, Ori; o Kirlia, Ralts; e Lopunny, só Lopunny mesmo.
Marjorie acena do outro lado tentando chamar atenção de Mel, essa vê e devolve com um mais singelo.
— Vamos, lá. Não é difícil atravessar um laguinho de lama desses.
Ela começa e o convida a fazer o mesmo, mostrando como e em quais das pedras pisar cuidadosamente até terminarem o percurso.
— Viu só? Fácil. — A garota pisca um dos olhos.
Antes que o garoto respondesse algo é substituído por Marjorie subitamente.
— Obrigada por ajudar meu priminho! Ele é muito descuidado e sempre se perde e se machuca por aí. — Marjorie responde por Aren. Fica ansiosa em conhecer uma garota para variar um pouco e se coloca na frente dele. — Uau, seus olhos são bem legais…
Marjorie fica admirada com a heterocromia da Melizzana. Seu olho direito é azul e o esquerdo castanho. Mel já está acostumada com esse tipo de comentário sobre seus olhos e por isso nem estranha. As duas se esquecem do resto do grupo quando começam a conversar.
— Ei, eu tinha tudo sobre controle. E é você quem sempre se atrapalha toda… — Aren tenta revidar, mas não é ouvido.
— Deixa ela, não deve conversar com uma outra garota a bastante tempo. — comenta o Kaito. Aren concorda e deixa quieto.
Logo depois todos voltam a prosseguir com o caminho a cidade. Descem um pouco pelas pedras que formam uma escada irregular e chegam em Ambrette Town. Ambrette é conhecida por suas pesquisas científicas sobre a vida marinha e fósseis. Ao contrário do que é feito em toda a região (estudos sobre a Mega Evolution).
Mesmo estando à beira-mar, o local apresenta um clima seco. A cidade toda é construída sobre falésias, estrutura rochosa, a mesma da rota 8. Na área da praia não se encontra nenhum banhista, fazendo com que alguns Pokémon bastante raros, como Seadra e Relicanth, apareçam por ali.
Aren pega um de seus pequenos aparelhos para ler o mapa e saber mais detalhes sobre a cidade. Ambrette: “Onde a poeira do âmbar dança”. O lema da cidade pode estar referindo-se a sua praia seca e estudo sobre os fósseis, onde Aerodactyl pode ser revivido de seu material genético encontrado geralmente no âmbar. Tem uma caverna onde cientistas estão trabalhando sobre eles, a Glittering Cave que fica depois da rota 9 ao sul, fora da cidade.
— Valeu, turminha. É aqui onde nos separamos. — Mel arruma sua mochila nas costas e já se apressa em sair em direção a praia.
— Mas já? Poxa… — Marjorie para o que fazia ao ouvir a notícia. Seus ombros caídos não a deixam esconder sua frustração.
É, está cedo ainda. — Ralts fica na frente de Mel para impedir sua passagem.
Ele é menos reservado que Ori e nunca se importa em comunicar-se com estranhos. A um tempo que já “fala” com Mel por perto.
— Para onde você está indo? — Aren pergunta. — Se estiver indo para o mesmo lugar que a gente, podemos andar juntos por mais um tempinho.
— Sim, sim, isso! — Marjorie se empolga com a ideia. Ela muda de humor com muita facilidade.
— Estou indo para Cyllage. Vai ter algumas competições esportivas por lá. — Mel responde sendo aprovada por Marjorie e Ralts, que fazem festinha.
— Estamos indo para lá também. — fala o Kaito.
— Kaito e eu estamos desafiado Gym Leaders. — Aren completa.
— Ah, se é assim. Tudo bem então. E a caminho… que tal uma batalha? Se estão desafiando ginásios aceitarão meu pedido. Pode ser em dupla se quiserem. Meninas contra meninos. — Mel olha para Marjorie esperando aprovação.
— Dupla?! N-ão, não, eu não sei essas coisas… me deixe de fora dessa. — Marjorie se desespera e responde nervosa. Se sente excluída sempre que falam sobre batalhas.
Mas eu sei lutar. — Ralts fala para Marjorie que responde “mas sozinho, contra outros treinadores eu tenho que participar também.”
— Ah, então… batalharei só com um dos dois. Podem tirar no Jo-Ken-Po se aceitam. — Mel enquanto sugere descansa sua mochila no chão para pegar suas Poké Ball’s e deixa-las a mão.
— Vamos lá, Aren! — Kaito começa.
— Claro! — Aren mais calmo concorda e ambos balançam os braços.
Jo-Ken-Po!: Kaito tira tesoura e vence Aren com o seu papel.
— Yeah! Ganhei!
Ori apenas observa a empolgação dos garotos, não estava em pique para lutar. Caso Aren tivesse ganho, passaria a vez para um de seus companheiros. Lopunny por outro lado observa a cidade um pouco desconfiada. Se alertando com qualquer humano semelhante ao seu ex-dono.
Aquele sujeito não está por aqui. Relaxa. — Ori tenta acalma-la, mas ela o olha descrente.
“Como pode ter tanta certeza?” — Lopunny cruza os braços sem relaxar sobre o alerta.
Eu simplesmente sei, ok? — Ori não diz mais nada e Lopunny decide confiar. Tentaria relaxar um pouco pela primeira vez em muito tempo.
Os treinadores antes de qualquer coisa passam no Pokémon Center para cuidar de seus Pokémon enquanto decidem como e onde será a batalha.

{…}

— Marjo, por aqui você pode dar uma olhada em vídeos do Try Pokaron e até aqueles de PR que Lee falou. — Aren está parado em frente a um computador do Pokémon Center, tem uma fileira deles onde os treinadores passam, em maioria, para assistir esses mesmos vídeos.
— Ah, é mesmo! Deixa eu ver! — A garota sai correndo até o local. Até mesmo tem sua atenção chamada pela enfermeira que quase atropelou.
Ralts se teleporta para ao entre os dois, tinha sido deixado para trás na pressa da Marjorie.
Se distraem com alguns vídeos. A garota que nunca tinha visto nada semelhante se encanta facilmente. São todos muito bem feitos e trabalhados, mesmo os simples são bonitos também.
— Nossa… tem muita gente boa nesse negócio… não sei se consigo fazer algo tão bonito assim. — Marjorie suspira inquieta. Ao seu lado, o pequeno Pokémon fada não parecia inseguro, tampouco desanimado em fazer parte da competição. Observando seu companheiro, suspira novamente. — Tudo parece ser tão mais simples quando se é um Pokémon…
— Ei, você consegue. Nós vamos te ajudar também! — Kaito responde com Ivy em seu colo. A Bulbasaur também manda um voto de confiança agitando um de seus bracinhos num aceno.
Nós seremos os melhores nisso, seja lá o que isso for! — Ralts fala u, pouco convencido.
— O que estão fazendo? — Mel que esperava pelos garotos os encontra com Marjorie assistindo alguns dos vídeos de PR mais populares que encontraram. — Ah, então é isso que você faz, é uma performer?
— Err… não exatamente, ainda não. Vou me inscrever no próximo. — responde a Marjorie, ainda um pouco incomodada. Ela se pega olhando para Lopunny que estava inquieta dentro do Pokémon Center, quase escondida ao lado de uma planta que tem num vaso da sala. — Ei, Lopunny. — A garota volta a sua face sorridente.

{…}

Aquário de Ambrette, a construção fica próxima do Pokémon Center. Escolhem passar por ele antes da praia, fazendo uma visita turística. Dentro do local, os poucos turistas que visitavam a cidade conversam sobre a vida marinha e estudos relacionados.
Na entrada estão apenas Marjorie e Lopunny, os outros seguem na frente a pedido da garota. Ela tentaria conversar com a Pokémon como tem feito quase sempre, mas desta vez não deixaria que a peluda lhe desse as costas.
— Só tem eu de humana aqui na frente, agora vai conversar um pouquinho comigo? — A garota pergunta calmamente, sendo o mais doce que podia para a coelha que apenas a olha, o olhar desconfiado de sempre. — Eu posso entender o que pensa. Fique a vontade para me dizer qualquer coisa. — Ela insiste.
Lopunny apenas evita encara-lá ainda quieta.
O silêncio da Pokémon por algum motivo deixa a garota com mal-estar. Quer ajuda-la, mas se ela se mantem distante não pode fazer nada, e isso a incomoda.
— Não sei o que aquele homem te fez, mas… não vai mais se repetir. Pare de pensar nele, ele não vai incomoda-la enquanto estiver com a gente. Não deixarei que te leve embora. — Ela fica um pouco nervosa, tentando não imaginar o que aquele sujeito tinha feito para deixar esse Pokémon do jeito que está. — Confie em mim, eu mesma vou cuidar de você. — Marjorie sorri para tentar confortar a Lopunny.
Por um breve momento Lopunny fixa seus olhos na garota. Quando notada desvia o olhar, não queria admitir, mas estava acreditando naquela humana. A Pokémon hesitante assente com a cabeça enquanto encarava algum ponto fixo a sua frente.
— Jura?! — Marjorie se alegra com a resposta e tenta agarrar Lopunny que dá um pulinho para trás. A garota quase perde o equilíbrio e cai. — Ei, para andar comigo tem que gostar de abraços. — A garota bufa constrangida e olha para os lados enquanto se recompõe. — Mas não vou te forçar a nada, vai aceitar quando confiar mais em mim, né?
Lopunny tenta ficar irritada com o assédio, mas cede a empolgação de sua nova companheira. Dá de ombros e um passinho para mais perto de Marjorie que, mesmo vendo uma nova oportunidade, não abraça. Faz um simples afago na cabeça da coelha e a convida a entrar no aquário.
O Aquário de Ambrette tem dois andares, sendo a entrada na parte superior. Na sala principal tem vários tanques de água, um grande e redondo no meio e outros quadrados de tamanhos variados nas paredes. A saída para a praia fica na parte inferior do Aquário, a construção desce da cidade sobre rochas a praia seca. Entre as escadas que leva ao andar de baixo, tem uma grande estátua dourada de Magikarp, Pokémon mais comum de ser encontrado.
Praia, rota 8. A areia é muito fofa e branca. Ao redor tem algumas pedras que podem ser quebradas e uma ou duas pequenas árvores bem solitárias.
— E… voltamos a rota 8. — comenta o Aren.
— Praia da rota 8. — corrige o Kaito. Ansioso, olha para Mel. A garota já estava com uma Poké Ball em uma das mãos, espera por Kaito antes de mostrar um dos seus.
— Nós… vamos ficar bem ali assistindo. Vamos Aren. — Marjorie, Aren e os três Pokémon se afastam do centro para assistir os dois.
Com uma linha riscada na areia feita por um galho encontrado por ali, Aren determina o limite da “arena” para o lado deles. Quer evitar que os dois se empolguem e usem ataques próximos demais do publico de apenas cinco indivíduos.

cap7
— Vamos lá, Ivy! — Kaito lança a Poké Ball da Bulbasaur que, depois do Pokémon Center, já tinha concordado em batalhar.
— Burrba! — Ivy surge do raio vermelho da Poké Ball, aterrissando na areia fofa.
— Sabia que chamaria por ela depois de vê-los no Pokémon Center. Agora é minha vez. Venha, Teddy! — Mel libera calmamente sua parceira.
Uma Teddiursa aparece já em guarda, é só um pouco maior que Ivy e se mostrava tão confiante quanto. Ela é um pequeno urso bípede muito fofo de pelos marrons e curtas garras que estão visíveis em suas patas, três para as mãos e dois para seus pés. O marrom é mais claro na meia lua que tem na testa e mesclado ao amarelo ocre no focinho. Seus olhos e nariz são pequenos e negros.
— Awnn! Que coisinha super fofa! Vontade de apertar! — Marjorie fala com Aren que não vê a mesma coisa que a garota. É indiferente com Pokémon fofos.
— Berr! — Teddy salta um grito para mostrar seu espírito de luta a adversária.
— Eu começo. Teddy use Leer! — Mal a garota manda e Teddy já lançava um olhar intimidador a Ivy, que recua um pouco. Leer corta o ataque da Ivy pela metade.
As duas adversárias parecem ansiosas em terminar o desafio dado pela própria Mel.
— Não vamos deixar isso barato, Ivy. — A Bulbasaur confirma com a cabeça esperando a ordem. — Pronta? Use Growl! — Kaito para não ficar muito atrás ordena movimento semelhante ao de Teddy.
Ivy imite um grunhido alto. Isso deixa a guarda de Teddy mais baixa e, também tem seu ataque diminuído pela metade.
— Ok, se vai ser assim… sem pegar leve, Teddy. Use Faint Attack e depois de perto suficiente, Lick! — Fala mais uma vez calmamente a Mel. Teddy a obedece prontamente. Está entusiasmada com a batalha.
A ursa corre como uma sombra, não é tão rápida, mas some de vista facilmente e quando próxima da Ivy, a acerta no rosto com sua mão direita em punho. Na sequência Teddy, tendo sua adversária ainda surpresa, prepara-se para lambê-la. Mas Ivy foi mais rápida e a chicoteia no rosto com um de seus cipós. Uma linha vermelha diagonal aparece momentos depois na bochecha esquerda da ursa, irritando-a.
“Você marcou meu belo rosto!” Teddy berra enquanto segura sua bochecha ardida. Olha furiosa para Ivy.
Ivy não responde, fica indiferente a vaidade da Teddiursa nervosa.
— Calma, Teddy. Não deixe esse vacilo dar brecha aos nossos adversários. — Mel mantinha-se séria e agora mais atenta ao humor de Teddy. Conhecendo a figura que é essa ursa, sabia que depois disso ela já não se concentraria mais nos comandos. — Aproveite para usar Fake Tears!
Teddy não pensa duas vezes e pelo seu rosto lágrimas escorrem sem cerimônia, ela finge um choro enquanto solta lamúrias sobre seu rosto ter sido deformado. Ivy, sendo levada pelo movimento de Teddy, acaba se sentido mal pelo que fez e abaixa sua guarda, fica mais vulnerável a ataques especiais.
— Ivy esse choro é falso, não acredite nela! — No momento que Ivy se distrai com Kaito. Teddy. Que teve a máscara derrubada, chuta areia para o rosto da quadrúpede. A pequena cerra os olhos aflita, tenta limpar-se com suas patas, mas são curtas para alcançar bem o olhos. — Ei! — Kaito chama atenção de Mel que não faz caso com o ocorrido.
— Foi mal, ela é oportunista — responde a Mel.
Marjorie e Aren assistem sem falar muito, a garota não entende de batalhas e por isso não diz nada sobre o golpe baixo. Não conhece as regras, observava o Aren para ter alguma pista daquilo ser ou não permitido. Ele não muda seu semblante, por isso fica quieta.
— A ursa está bem na sua frente. Use Razor Leaf! — Ivy tenta abrir seus olhos, mas a ardência a forçou a mantê-los fechados. Porém esse pequeno momento deu-lhe chance de confirmar a posição da ursa que já estava na defensiva.
Seguindo Kaito, Ivy usa Razor Leaf na ursa que também já seguia um comando. Teddy usa Fury Swipes para cortar as folhas laminadas. Suas garras estão mais compridas e afiadas, corta a maioria das folhas com facilidade.
“Só isso, baixinha?” Teddy desdenha.
Ivy não responde a provocação, olha de esguelha para Kaito que capta a escolha dela e sorri. Ambos pareciam ter concordado com algo que só eles entenderiam.
Mel e Teddy ficam um pouco apreensivas. Não tinham ideia do que eles planejavam. Marjorie de certa forma entendeu os dois, Kaito e Ivy perceberam uma brecha no contra-ataque de Teddy.
Ivy é mandada a usar Razor Leaf de novo. Ela lança várias folhas diretamente para cima de Teddy que de novo usa suas garras para defender-se. Mas quando terminado vê a Bulbasaur correndo em sua direção.
“Sério que achou mesmo que podia me distrair para depois me acertar diretamente?” Teddy ri convencida, tendo Ivy se entregando de bandeja para suas garras. “Mas o q…!”
Ivy cerra a corrida assim que Teddy faz um pequeno movimento abrindo seus braços para o contra ataque. Ivy para a poucos centímetros de um feroz abraço de urso. Teddy que esperava receber uma cabeçada ataca em falso, desequilibra-se quase caindo para frente. Mas é jogada para trás com um Tackle da rival. Ainda no chão, Ivy usa Toxic. Teddy está envenenada.
— Teddy! — Mel fica aflita e pega a Poké Ball da Pokémon, mas Teddy se recusa a desistir, ainda queria lutar e mostrar que pode vencer independente de sua condição. — Tsc… tudo bem, tem apenas uma chance. Passando te retiro de imediato da luta.
Teddy concorda com a Trainer. Mel a ajuda usando sua última chance em outro Faint Attack, mas quando próxima de Ivy vacila por causa do veneno e para o ataca no meio do caminho. Ivy aproveita a chance e termina derrubando-a com outro Tackle.
O empurrão arrasta a Teddiursa por quase um metro na areia e desmaia muito fraca. Mel que já tinha o antídoto em mãos assim que ordenara o último movimento, puxa Teddy para perto de si e aplica o remédio. Teddy começa a melhorar, mas sem acordar.
— Está tudo bem? — Kaito fala perto da garota que está sentada no chão acariciando a testa de Teddy.
— Sim. Parabéns pela vitória. — Mel sorri.
— É muito chato essa mania do Kaito de sair envenenando os outros! — Marjorie repreende o garoto que se defende puxando sua mochila para frente do corpo enquanto essa se aproximava.
— Calma. Veja. — O garoto abre o bolso da frente de sua mochila para mostrar seu conteúdo. Dentro, alguns vidrinhos de remédios e antídotos em spray. — Sempre levo comigo o antídoto.
— Bom mesmo, mas ainda não deixa de ser um coisa muito feia! — Ela cruza os braços.
Odeio veneno, é bom não usar contra mim senão serei seu pior pesadelo! — Ralts ameaça.
— Tão fofinho para assustar alguém… — Aren zoa o pequeno que devolve olhando feio para o garoto.
— Vocês são bem divertidos. — Mel ri assistindo a ceninha e recolhe Teddy para de volta a sua esfera. — Bom, vamos continuar a viagem para Cyllage. Quero tomar um banho e comer alguma coisa.
— Ah, eu também, vamos logo! — Marjorie se anima acompanhando Mel na caminhada.
Todos andam sem trocar muitas palavras. É fim de tarde, os garotos deixam todos os seus Pokémon fora das esferas, mas Alex, o Umbreon, se arrepiou todo ao pisar na areia e resolve voltar. Dormir em sua Poké Ball até o anoitecer lhe parece bem mais cômodo. Button plana tranquilo sobre os demais. Slime depois de alguns pulinhos é pega no colo por seu Trainer, e Scare vai para perto da Lopunny. Ori, Ralts e Ivy continuam como estavam, próximos de seus humanos.
— Essa Lopunny está oficialmente sob os seus cuidados, né? — Melizzana repara na Pokémon que andava mais próxima de Marjorie agora.
— É verdade… a batalha acabou nos distraindo. Marjo, como foi para convence-la? — Aren se aproxima da garota que se afasta por ele estar com a Slime.
— Ei, não chegue tão perto quando estiver com essa gosma de vídeo-game. — O garoto apenas revira os olhos esboçando um sorriso traveso. — Seu chato…
— E então?
— Conversei com ela, só isso. Consegui um pouco de sua confiança. — Marjorie fica radiante, seus olhos brilham sem conseguir disfarçar nada do orgulho.
— Comemorar o feito? Parece algo que mereça, sabe… — Kaito fala um pouco baixo, mas é ouvido. Tinha ficado um pouco excluído.
— Sim, vamos! Né, né? — Marjorie sendo a mais velha era quem mais se comportava como criança em festa.

{…}

Chegam em Cyllage no cair da noite e por sugestão de Mel escolhem acampar na praia. Se dividem nas tarefas de arrumar o acampamento e recolher gravetos secos para a fogueira. Depois de tudo pronto rodeiam a fogueira para assarem mashmellows, acompanhando tem bolachas e suco de laranja sem os gominhos. Algo bem singelo para comemorar a “captura” de Marjorie.
Estão todos com os seus monstros ao redor. Com Melizzana temos: A já conhecida Teddiursa, um Bulbasaur (diferente de Kaito que é de Kalos, Mel vem de Kanto e possui o mesmo inicial) e uma Smoochum.
Teddy está sentada ao lado de sua Trainer de costas para os demais. O Bulbasaur de Mel é maior que Ivy e se interessa pela pequena que se esconde para perto de Alex que não deixa o outro se aproximar. A Smoochum está comendo quietinha no colo da garota.
— Vai dar algum apelido para ela? — Kaito pergunta a Marjorie que está entre seus dois monstrinhos. Ralts é o mais próximo da garota e ameaça ralhar com a coelha se tentar lhe tomar a humana.
— Hm?… não será preciso. Alguém aqui já a apelidou. — Ela sorri olhando discretamente para o lado do garoto de cabelos brancos que distraído não repara.
— Esse menino que deu o apelido? — Mel sussurra enquanto aponta para Aren parecendo aborrecida.
— Quê? Não, não. Não foi o Aren… o “rapaz” verde de chapéu triangular que fez isso. — Marjorie com um gesto de mão mostra o Cacturne atrás de seu Trainer. Está um pouco escuro e o mais visível dele são seus olhos brilhando.
— Scare a apelidou, é? — Aren surpreende os três que achavam que ele não estava prestando atenção a conversa. — Gosta dela? — O garoto olha para trás chamando atenção do Cacturne.
— Groarr…? — Scare não prestava atenção na conversa e não entende a pergunta.
Ori confirma a pergunta do garoto usando sua aura para responder. Aren apenas sorri achando muito interessante. Fica curioso em saber no que isso daria. “Predador e Presa” se dando bem como amigos até é comum, mas romance entre esses é mais raro.
— Ei, espera aí. Quê apelido esse Cacturne deu a ela? Por acaso ele a chama de “Groawrr”? — Melizzana levanta suas mãos em garras enquanto imita o rosnado do Pokémon sombrio.
Os três caem na risada com a piadinha de Mel, Marjorie é quem mais ri. Não se tocou de Melizzana ainda não saber de sua habilidade de conversação com Pokémon. Para ela é tão simples que não entende quando a estranham.
— Não… eu entendo o que eles dizem. — Marjorie enxuga uma lágrima do rosto. — Outro dia eu o ouvi chama-la de “Lonnie”. — Ela olha para Scare sorrindo, esse continua sério e quieto.
— Nome fofinho. — Mel responde simplesmente. E não se espanta com a garota conversar com eles, já viu coisas assim antes.
Marjorie se aborrece um pouco em, aparente, ser a única a se importar com quaisquer sentimentos que os Pokémon ao seu redor possam ter uns com os outros. Seus humanos parecem só se preocupar com o bem-estar deles para lutarem.
Melizzana e Aren parecem se dar bem nesse quesito. Conversam sobre a batalha e trocam experiencias de treinos e cuidadores Pokémon.
— Não fique tão aborrecida. Esses dois se importam com o que eles sentem. Só não são tão sensíveis quanto a gente sobre isso. — Kaito fala para Marjorie que se enchia de marshmellows para passar a frustração.
— Buarr. — Ivy diz algo também.
— Eu sei, esses dois só são um pouco mais sérios e não curtem “fofura”. — Kairo responde a Ivy.
— Você também “fala” com eles?! — Marjorie pergunta boquiaberta.
— Quem dera se eu pudesse… não, eu só meio que sinto mesmo e interpreto. — O garoto sorri um pouco sem jeito.
Terminam a noite desse jeito, conversando, brincando e comendo doces com suco. Mas não tardam muito, teriam que acordar cedo porque o dia seguinte prometia ser cheio. A praia tendo os preparativos prontos para o evento esportivo de Melizzana e a dupla de garotos que pretendem desafiar o Gym assim que acordarem.

 

Notas finais do capítulo

Desda vez no desenho tive ajuda de minha amiga Princess! (a mina que adora fadas). Os próximos farei sem sempre faço, sem edições. Mas senão… pedir o favor novamente ^^’

Ok, Princess? = 3

Outros amigos a parte, recebo algumas ajudas em revisão de texto e até complemento no capítulo. Law e Hands (só eu chamo meus amigos por esses apelidos hue) u.u


Deixar uma resposta