Capítulo 5: Nova Garota para Almejar ser Rainha de Kalos


Manhã de descanso da Jornada até voltarem com o pé na estrada, mesmo ansioso por novas batalhas e encontros com Pokémon da região, Aren tem que adaptar Marjorie aos poucos ao ritmo corriqueiro da aventura.
Camphrier Town recebe muitos turistas para apreciar sua atmosfera rustica, principal destaque esse que, uma de suas poucas construções atuais é um hotel onde a maioria dos turistas ficam, seja para conhecer a cidade ou suas localidades próximas. Fora essa construção mais a do Pokémon Center obrigatório, quem visita à cidade se sente em outro tempo, e o Shabboneau Castle localizado mais ao norte é o que mais caracteriza esse fato. Segundo o mapa, foi morada de uma antiga família nobre.
O caminho todo da cidade é feito de ladrilhos bem espaçados e pequenas fontes estão distribuídas ao longo dela, e em cada esquina um pequeno poste de luz.
Na frente do Pokémon Center, dois dos principais viajantes já estão acordados e bem-dispostos. Marjorie e os outros ainda dormiam, ela e Ralts no quarto do Pokémon Center, e Scare e Gulpin em suas respectivas Ball’s dentro da mochila.
— Essa cidade é cheia de turistas. Mal posso esperar para conhecer outros Trainers! — exclama o Aren.
Ori, ao lado, se alonga um pouco antes de começarem o dia.
— Vamos, Ori. Está bastante cedo ainda, os dois vão demorar até darem as caras… — Aren refere-se a garota e seu Kirlia.
É, mas… se ela acordar e não nos encontrar vai dar aquele pití de ter sido deixada para trás como na última vez.
— Vai não, além disso vou deixar minha mochila. Agora vamos!
Os dois sem muito interesse na cidade vão para as redondezas atrás de algum desafio.
Fora da cidade entram na Route 6, Palais Lane. A rota 6 é linear e coberta em seu centro por um bosque. As sombras das árvores deixam o lugar com clima refrescante, o caminho de terra livre de qualquer grama leva até o Parfum Palace, principal atração turística de quem visita essa parte da região.
— Acho que só encontraremos turistas por aqui também… — Depois que vê o palácio ao longe, desanima em saber que só encontraria mais turistas só a passeio.
Aren chateia-se em não ter encontrado nenhum treinador pela cidade e agora por essa rota. A maioria das pessoas que encontrou, fora as locais, são turistas cheios de compras, casais a passeio, fãs de Pokémon que andam com vários acessórios deles e alguns outros mais jovens. Todos têm seus Pokémon, mas não são treinados para combates. Se lutavam, era só aquele básico para se divertirem, e Ori já não era desse nível a muito tempo… quando Riolu era divertido, mas agora era covardia enfrenta-los.
Uma voz chama atenção do garoto que se mantinha parado em meio a rota, tinha desistido da busca. Ao olhar para trás analisa a pessoa tentando adivinhar se era algum turista, fã ou só mais uma criança curiosa.
— Oi, você é um Pokémon Trainer ou também só está a passeio?
É um garoto trajando roupas simples e diferentes do povo de Camphrier Town, ele é de fora com certeza. É um pouco mais baixo que Aren, e com quase o mesmo tom de pele, cabelos lisos e pretos e olhos cinzentos. Usava uma camisa toda branca, só com os ombros e as curtas mangas na cor azul, bermuda cinza e tênis estilo All Star, vermelho. Em mãos, uma Pokédex, nela registrava a imagem de Ori, e ainda da mesma, saiu uma voz eletrônica com uma informação básica de sua espécie.
“Lucario, o Pokémon Aura. Ele pode sentir a aura emanada dos outros, podendo ler seus pensamentos e movimentos.”
— Que fascinante! Seu Pokémon deve ser incrível! — Ele responde admirado, observando Ori dos pés à cabeça.
— Ah… é, ele é, sim. — Aren tinha se distraído esperando o garoto terminar o que fazia e só acordara ao ouvir sua voz novamente. — Respondendo a sua pergunta, sou um treinador, não estou aqui a turismo.
Aren ainda o olha curioso, só porque tem uma Pokédex não quer dizer que também está numa jornada Pokémon como ele.
— Ah, que legal! Não encontrei nenhum Trainer na cidade, então vim pra cá atrás de algum, que bom que te encontrei. — O garoto sorri e depois guarda sua Pokédex no bolço direito de sua bermuda. — Ah, esqueci… me chamo kaito, venho de Vaniville Town daqui mesmo de Kalos. Comecei minha primeira jornada recentemente, e você?
— Eu sou Aren e esse aqui, Ori. Somos de Nuvema, Unova, e estamos em nossa segunda jornada.
Ori apenas acena com a cabeça, normalmente fica calado perto de estranhos.
— Interessante. Mas, e aí. Que tal uma batalha com nossos primeiros Pokémon? — Kaito tira do bolço esquerdo da bermuda, uma Poké Ball, e a expande esperando resposta.
— Claro! — Aren responde energético, a manhã todo esperava por isso.
— Auur! — Ori o acompanha igualmente animado.

{…}

Mais uma manhã de desencontros para Marjorie e Ralts, não gostavam, mas começavam a se acostumar com o sumiço matinal de seus companheiros de viagem. Ainda no Pokémon Center, ela espalha algumas cópias de um desenho que fez.
— Com licença, enfermeira, você viu esse garoto aqui?
Marjorie mostra o desenho de sua dupla mágica que sempre desaparece de manhã enquanto ela dorme por não gostar de ficar tanto tempo parado. No alto da folha estava escrito “Procurado” e em baixo “Recompensa: Um abraço!”. O desenho é bem simples, mas dava para reconhecer que o garoto era um de cabelos claros com franja dividida ao meio e olhos escuros.

cap5

— E então, viu esse moleque ou não? — Ela tentava fazer cara de brava.
Esse menino sempre sai para passear sem a gente! — Ralts protesta.
— Err… vi sim, ele saiu hoje cedo com o Lucario. Deixou apenas a mochila e seus outros dois Pokémon para ficarem com a senhorita até ele voltar. Aqui está. — A moça entrega a mochila e as duas esferas para a garota.
A enfermeira é mediana e de longo cabelo rosa escuro e liso preso num rabo-de-cavalo. Olhos verdes e pele parda. Tinha achado a garota baixinha fofa e engraçada, principalmente com o Kirlia contrastando isso. Segura uma risada enquanto conversa com ela.
— Obrigada! Depois me resolvo com ele. — Marjorie responde tentando parecer séria para a enfermeira que logo sai do local.
Não vai liberar o Scare, vai? Ele deve estar dormindo, deixa ele aí. — Implora o Ralts.
— Ele deve estar acordado e com fome, vamos todos tomar o café da manhã juntos.
Até a bolinha verde?
— … é, esse também. Principalmente esse. — Ela sente seu estômago embrulhar ao lembrar do Gulpin.

{…}

Área de alimentação do Pokémon Center. Os dois Pokémon que Aren deixou são soltos das Ball’s pela garota que adorava assistir a cena, achava incrível criaturas tão grandes serem convertidas ao espaço dentro da pequena esfera. Ela pediu, com ajuda da mesma enfermeira que a atendeu, comida próprias para cada um dos monstrinhos em sua companhia.
Gulpin é o primeiro a começar a comer. Estava no chão próximo da mesa, mas não muito, ela queria uma distância segura de possíveis babas.
— Isso, coma bastante. — Marjorie o observa atenta e quase não tocava em seu sanduíche e suco.
O que você tem contra ela? — Ralts pergunta a garota. Comia alguns pedaços de frutas.
— Ela? Isso é menina?! — Marjorie acorda da vigia que fazia sobre Gulpin, e nota que o Pokémon ainda mais verde de pé ao seu lado não estava comendo. — Ei, por que não tocou em sua comida ainda? — Olha torto para Scare.
Ele não tem mãos para pegar nada, sou superior nisso porque eu tenho. — Ralts responde num tom de vitória. Queria mostrar a garota que ele tinha mais qualidades que seu rival.
Marjorie o repreende e o manda pedir desculpa pela brincadeira. Depois de feito, o pequeno volta a comer quieto e um pouco desgostoso por não ter feito nada de errado, ao seu ver.
— E então, como você come se nem consegue pegar a comida? Você não tem aqueles cipós dos braços como outros Pokémon plantas?
“Minha espécie não sabe fazer isso.”
Ele responde olhando cara a cara para a garota. Tem que virar a cabeça sempre que quer olhar ao seu redor por seus olhos serem pequenos e profundos na face, não tem visão periférica muito boa.
— Então?
“Uso meus espinhos para espetar a comida.” Nisso ele ergue um dos braços e aumenta o tamanho do espinho localizado no fim dele, deixando-o para frente como se fosse algum tipo de espada média e brilhante, “ou o garoto mesmo me alimenta diretamente. Mas eu não estou com fome, não preciso comer todos os dias.”
Sessado os pequenos rosnados, volta a sua posição inicial, quieto.
— Hm… chega, você é muito paradão para alguém fofo. — Ela o olha emburrada. Mas na sequência volta com ar sonhador — Como o Aren não está aqui… quer treinar comigo? Vou te ensinar a ser mais descontraído!
— Gruarr! — Scare aceita o convite.
O que, hein?! — Ralts fica de pé na cadeira, quase gritando dentro da cabeça da Marjorie.
— Você ouviu muito bem. — Ela revida respondendo com um sorriso meigo
Marjorie se empolga. Se apressa em comer para logo começar seu próprio estilo de treinamento Pokémon, onde quer deixá-los mais divertidos. Ralts já é treinado nisso e Gulpin poderia participar também se quisesse, mas esse último tem que ser a uma distância segura…

{…}

— Aqui parece ótimo, é bastante aberto e não tem ninguém muito perto que possa atrapalhar. — Kaito diz no meio de um campo de volta a rota 5. O lugar escolhido para batalharem.
— Principalmente por estar menos movimentado que ontem. — Aren observava o local onde pararam para um descanso no dia anterior.
— Vamos começar então, está pronto?
— Sim, vamos, Ori!… Ori? — Pela primeira vez o Lucario não responde de imediato o chamado do garoto. Confuso olha para trás e o vê de olhos fechados. — O que está fazendo?
Surpreende o Lucario que estava muito distraído.
Hã? Nada não… só procurando uma coisa. — Seus quatro apêndices presos atrás da cabeça voltam ao normal quando tirado do transe. Estavam afastados do Pokémon, flutuavam com o poder da aura que o Pokémon emanava para capitar outra.
Aren ia perguntar sobre o que era, mas Kaito lhe rouba a atenção, fazendo-o desviar do assunto.
— S-seu Lucario falou?!… digo, eu ouvi seus pensamentos! Não sabia dessa capacidade. Estou ainda mais fascinado com ele! — Os olhos de Kaito brilham sobre o Ori que fica um pouco sem jeito.
— É, mas ele não curte muito comunicar-se perto de estranhos, sabe? Por isso “calado” até agora. — Dá um tapinha na cabeça de Ori. — Hm… bom, vamos com a nossa batalha. Daqui tenho que voltar depressa para o Pokémon Center.
— Ah, sim, claro. Me distraio fácil. — Kaito ri e pega novamente a Poké Ball de antes. — Venha, Ivy!
Para fora da esfera é libertado um Bulbasaur. Pokémon do tipo grama e veneno, é um pequeno quadrúpede inteiramente verde, lembrava um pouco um anfíbio. Em seu corpo estão distribuídas manchas verdes mais escuras. Tem um grande botão de flor bem fechado num tom claro de verde pinho em suas costas, pequenas orelhas pontudas como de um felino, grandes olhos vermelhos e garrinhas e dois visíveis dentes pontudos.
A manhã no Skate Partk está ensolarada, o que talvez proporcione alguma vantagem a Ivy com seus movimentos do tipo grama.
— Buarrba! — Ivy responde ao chamado de seu Trainer.
Sua voz é um pequeno grunhido agudo.
— Linda, não? — Kaito exclama para Aren antes de falar com a Pokémon. — Está melhor, Ivy? — A Bulbasaur assente e se coloca de guarda na frente do garoto. — Que bom. Agora concentre-se bem, nosso adversário desta vez é superior aos que enfrentamos ontem de manhã nessa rota.
Os dois começam. A iniciativa foi deixada para a Ivy que começa com um Tackle ordenado por Kaito, seu golpe não surte efeito algum em Ori que apenas se defende com os braços.
Ainda na deixa da Pokémon, ela usa Toxic, mas nada acontece. Na surpresa dos dois adversários Ori é liberado a atacar, usa um Bone Rush, usa em forma de pequenos bastões e os lança na direção da Bulbasaur. Acerta só os três primeiros, pois ela se esperta rapidamente e consegue desviar dos dois últimos que ele tinha preparado.
Kaito até queria pedir tempo para perguntar sobre o Toxic de Ivy não ter funcionado em Ori, mas deixaria para quando terminassem.
— Ivy, use Razor Leaf!
Ori sai do alcance de algumas das folhas laminadas, e do restante usa seus braços novamente para se defender, ganhado arranhões superficiais. Distraído, recebe mais um Tackle, mas agora em cheio da pequena. O acerta na barriga, fazendo com que dê alguns passos para trás.
— Até que vocês já lutam muito bem para quem começou sua primeira jornada agora. — Aren se anima mais em saber que a luta, afinal, não estava sendo como imaginou. Por Kaito ser menos experiente pensou que seria rápido e entediante.
— Isso foi um elogio? — Kaito pergunta sem tirar a atenção da luta.
— Acho que sim. — Aren responde ao colega e volta a chamar por Ori. — Ori, Quick Attack!
O chacal obedece partindo para cima de Ivy que não consegue evadir a tempo, é lançada a alguns metros com o forte empurrão de Ori. É difícil para ele atacar um Pokémon tão baixo, só podia usar esses golpes mais básicos, alguns que a muito tempo não usava.
— Burlba! — Ivy levanta cansada, ainda queria lutar, mas volta ao chão arfante e desiste de continuar.
Mesmo não tendo atacado muito, Ori tem muito mais ataque que a Ivy tem defesa. Ela ainda é nova e inexperiente em batalhas mais sérias, por isso não teria como vencer essa luta, por mais que quisesse.
Kaito corre até sua parceira e a pega no colo. A verifica rapidamente e confirma estar bem
— Que alívio, você está bem. Lutou muito bem como sempre, foi mal se te fiz batalhar com um Pokémon bem mais forte que você.
— Bul, bul! — Ela o anima mostrando ter gostado da partida.
— Está tudo bem aí? — Aren aparece atrás dos dois junto de Ori.
— Está sim, só temi que a tivesse forçado a algo… ainda não estamos prontos para um Pokémon tão forte, sabe?
— Entendo. Mas até que foram muito bem. — Kaito e Ivy se alegram com as palavras. — Então, vou voltar para o Pokémon Center agora, podemos ir juntos e você a deixa descansar por lá.
— Sim, será uma boa. — Kaito recolhe Ivy para sua Ball quando lembra da pergunta que queria fazer. — Ah, Aren! Por que o Toxic da Ivy não funcionou no Lucario? Esse movimento nunca falhou antes…
— Hm? Ora… ele é do tipo Steel também, ataques de veneno não o afetam.

{…}

De volta ao Pokémon Center de Camphrier Town, os dois garotos avistam um desenho de “Procurado” feito por Marjorie, pregado na entrada.
— Ei, esse aqui no desenho é você, não? Você é algum tipo de bandido?! — Kaito finge estar surpreso.
— Claro que não, isso aí é obra da Marjorie… não posso dar as costas alguns minutos que ela já apronta. — Aren suspira, tendo em companhia Ori com um de seus “Palm Face”.
A dupla retira os desenhos a caminho da área de recreação que fica atrás do Pokémon Center. É uma pracinha com um campo central grande o bastante para todo tipo de Pokémon. Nessa parte podiam treinar ou brincar com os seus companheiros.
Mais adiante avistam Marjorie conversando com um menino. Estão sentados num banco na sombra de uma árvore. Ralts sentado ao lado ouvia a conversa atentamente, mas sem entender muito bem, Gulpin cochila atrás desse e Scare está de pé ao sol, um pouco mais afastado do local.
— Acha mesmo que posso me tornar uma estrela? — Marjorie pergunta empolgada ao seu novo amigo.
— Claro, pelo que assisti de você brincando com os dois Pokémon, tenho certeza. Você é muito natural e se diverte de verdade na companhia deles.
É um garoto da mesma altura de Marjorie, que quer dizer que é mais novo que a mesma. Tem a pele clara e cabelos loiros arrumados, olhos castanhos claros, mas mudando de ângulo, refletiam um tom verde discreto. Está de camisa cinza com mangas curtas na cor vinho, bermuda um pouco acima do joelho de cor caqui e tênis estilo vans na cor preta.
Ainda no garoto, ao seu lado no banco está sua mochila na cor azul, e pendurado no pescoço uma câmera fotográfica. Em seu colo, quase camuflado na bermuda, tem um Vulpix, está dormindo e só notado assim que se mexe um pouco.
É uma pequena raposa de seis caudas, sua dor predominante é marrom, com suas patas num tom mais escuro. Suas seis caudas e franja, o marrom é complementado com laranja e do pescoço a barriga é branco. No rápido momento em que ele abre os olhos, vê que são castanhos claros.
— Eu realmente gosto de brincar com eles. — Ela ri um pouco encabulada. — São tão meus amigos quanto qualquer pessoa.
— Entendo o que quer dizer. Comigo e Rokon é assim também. — Ele acaricia a franja da raposa.
— Oi, Marjo, e oi… — Aren surge perto dos dois.
O garoto loiro fica de pé para apresentar-se, segura o Vulpix ainda dormindo e um pouco incomodado com o movimento súbito.
— Sou Lee, Prazer. E você deve ser o Aren, não?
— Isso mesmo, já sou famoso, é? — Aren fica desconfiado enquanto cumprimenta Lee e olha para Marjorie que apenas sorri.
— Quem foi o sortudo que o encontrou? Que venha receber seu abraço agora ou cale-se para sempre! — Ela se levanta e fala tudo em alto e bom som para que fosse ouvida por aqueles ao seu redor.
— Acho que sou eu… — Kaito responde um pouco surpreso com a reação da garota. Não esperava ser sério o que tinha escrito no desenho.
Ela o abraça rapidamente e logo volta ao seu lugar no banco como se nada tivesse acontecido.
— Continuem. — Ela diz no final.
Os quatro terminam de se cumprimentar animados e voltam ao assunto que Lee tratava com Marjorie.

{…}

— Enfim, isso é tudo. E pra começar, posso te ajudar a fazer um PR vídeo. O melhor lugar para isso está em Lumiose City.
— Claro, farei um com certeza, um não, vários! Mas… eu só tenho o Ralts para participar do tal Try Pokaron, e são preciso dois… — Marjorie fita Lee esperando alguma resposta.
— Você pode capturar um outro, tem muitos Pokémon interessantes para fazer par ao seu Kirlia em Kalos. Ou pegar emprestado com Aren… mas os que ele tem não sei se se encaixam ao padrão de “beleza” que esperam nesses concursos. Sem querer ofender, ok? Mas o público é quem decide, e eles podem não gostar do Cacturne, Lucario ou Gulpin por não serem pequenos e fofos como o esperado.
— Ei, isso já é preconceito! — Marjorie Protesta. — Mas concordo quanto ao Gulpin.
— Ei! — Agora é Aren quem protesta, cobre com suas mãos os ouvidos de Gulpin. Está em seu colo, pegou o lugar do Pokémon atrás de Marjorie no banco.
Os outros presentes riem.
— Mas infelizmente é assim mesmo, você até pode levar algum de Aren, mas vencer com eles já é outra coisa. — Lee pausa pensativo, — Mas isso será com você, pode ser que vença com seu carisma e com os Pokémon bem sincronizados como dupla. — Ele levanta-se novamente, mas desta vez pega sua mochila e a colada em seu ombro. — Bom, vou indo agora. Até qualquer dia desses, sei que ainda nos encontraremos muito por aí. Vamos Rokon.
— Vuul! — O Vulpix pula do banco para perto de seu Trainer.
Lee se despede e sai com seu parceiro andando ao seu lado quase saltitando.
— Vai mesmo participar desse concurso? Parece ser complicado pelo que Lee explicou. — Aren pergunta a Marjorie depois que Lee some de vista.
— Hm… acho que sim, sim, vou participar do concurso. Basta eu ser eu mesma para o resto se resolver sozinho, não é? Deve ser divertido.
Marjorie recebe um sorriso de apoio dos amigos.
Eu ajudarei, quero participar e ser uma estrela também! — Ralts incentiva Marjorie mostrando-se interessado. — Mas não farei nada com o Scare, quero outra dupla. — Ele cruza os braços.
O Cacturne é indiferente as implicâncias do pequeno. Sempre foi, e a qualquer palavra ofensiva dirigida a ele, sabe que assusta à primeira vista e que é temido por alguns. Depois que Aren tinha voltado, fica ao seu lado junto de Ori que também está de pé.
Já esperando por essa reação de Ralts, Marjorie olha para o Ori quase implorando com olhar
Não sei se poderá contar comigo… não sou bom em coisas delicadas, e nem gosto de multidão me observando. — Ori responde sério.
— Ori trava sobre qualquer palco que não seja um tatame. — Explica o Aren antes que a garota perguntasse o motivo.
— Quêê?! Esse Ori aqui é tímido?! Tem medo de palco?! — Ela fica boquiaberta olhando para Ori que cora e vira a cara. — Nunca imaginaria. Ele é tão sério, e quando lutando fica tão à vontade. — Reflete lembrando das batalhas que já assistiu dele.
— Eu posso emprestar algum meu se quiser, devem estar nos padrões do concurso. — Kaito aponta para Ivy no seu colo que emite um grunhido e sorri.
— Obrigada, mas acho que vou levar um meu mesmo. Deve ter algum Pokémon tão fofo e pequeno quanto o Ralts para ser seu par por aqui.
Marjorie sorri determinada em participar do Try Pokaron, concurso onde apenas garotas podem participar e disputar para se tornarem Rainha de Kalos. Ela precisa apenas de mais um Pokémon para começar a pensar no assunto seriamente.

 

Notas finais do capítulo

Que Pokémon Marjorie vai conquistar a amizade para fazer parte de seu time e participar do Try Pokaron??
Aguardem o próximo capítulo u.u


Deixar uma resposta