Vamos juntos, Natu!

120px-177Natu

  Bep é um jovem de 16 anos que mora com sua família, seu irmão, Hollow, e dois Pokémon, Natu e Growlithe, os quais não são capturados, mas possuem vínculo de amizade com os irmãos e a família. Assistindo o anúncio sobre a Liga Pokémon no final do ano, Bep se interessou e ligou para o Professor Carvalho, avisando que em algumas semanas iria para a cidade de Pallet e começaria sua jornada.

  Preparou sua mochila, se despediu de sua família e o Growlithe, e junto do Natu embarcou no ônibus para a cidade de Pallet. Assim que chegou em Pallet, se dirigiu ao laboratório do Professor, sendo orientado a escolher um dos Pokémon iniciais, mas surpreendeu o Professor ao dizer que gostaria de começar sua jornada com seu amigo, Natu.

  “Natu, quer ser meu parceiro nessa jornada?” – essas foram as palavras direcionadas ao Natu, que respondeu acenando com a cabeça e entrou na Pokéball. Em seguida, Bep recebeu orientações do Professor sobre como utilizar a Pokédex, capturar Pokémon, e o entregou um guia contendo inúmeras informações sobre a região de Kanto.

  Antes de chegar na cidade de Viridian, viu que haviam diversos Pokémon selvagens, além de querer participar da Liga Pokémon, também tinha interesse de capturar muitos Pokémon. Capturou diversos Pidgey, Mankey, Nidorans e Rattatas que encontrou perto da cidade de Viridian.

  Adentrando a floresta de Viridian, batalhou contra vários treinadores, não demorou muito para que percebesse que o seu maior interesse era explorar e capturar Pokémon do que batalhar, não que não se interessasse ou não quisesse participar da Liga, mas não sentia a mesma fascinação do que explorar em busca de outros Pokémon.

  Inúmeras vezes explorava a floresta de Viridian, voltava à noite para se hospedar no centro Pokémon de Viridian e retornava à floresta no dia seguinte. Um dia, quando estava em direção à floresta, um senhor o chamou e perguntou o motivo de vê-lo ir e vir tantas vezes da floresta, Bep respondeu – “Quero explorar totalmente essa floresta, não sei se encontrei todos os Pokémon que habitam esse lugar, não quero continuar minha jornada pensando que esqueci ou não encontrei algum por não ter explorado tudo”.

  Com um sorriso no rosto, o senhor deu uma vara de pesca, explicando que alguns Pokémon só podem ser encontrados pescando, mas é necessário muita paciência para pescar, porque não é sempre que um Pokémon aquático morde a isca. Para a surpresa do senhor, Bep o retribuiu com um grande sorriso e correu em direção a uma lagoa próxima do centro Pokémon, aguardando pacientemente sentado até que algum Pokémon mordesse a isca.

  Dias depois, chegou à cidade de Pewter e quis visitar o museu, após olhar os diversos fósseis dos Pokémon, imaginou se algum dia conseguiria encontrar algum Pokémon pré-histórico em sua aventura.

  Saindo do museu foi ao ginásio da cidade para batalhar contra o líder, Brock. As batalhas no ginásio não foram muito difíceis, pois havia capturado um Sandshrew que resistia bem os golpes dos Pokémon de pedra do ginásio, e também seu Natu com seus golpes psíquicos conseguia enfrentar bem os Pokémon de Brock.

  Ao receber a insígnia Boulder e o TM Bide, Bep se dirigiu à próxima rota em direção ao Mt. Moon, ansioso para encontrar e capturar outros Pokémon.

sig2-Sora

Deixar uma resposta