Snow on Mt.Silver

Imagem inicial
Eu sou apenas um adolescente que vivia com o seu irmão numa casa simples. Desde criança que sempre gostei de Pokémon e o meu irmão também tinha esse gosto como eu. Desde os meus 6/7 anos que jogo e por isso eu e meu irmão possuímos muitos jogos.

Na altura tinham lançado a 3ª Geração e eu e meu irmão tínhamos já todos os jogos, Pokémon Rubi, Safira e Esmeralda, juntamente com os remakes da 1ª Geração. Mas nós sempre gostamos dos jogos mais antigos e por isso também era frequente jogar-mos Gold, Silver, Cristal, Red, Blue e Yellow. Durante semanas íamos para o campo do nosso avo jogar Pokémon sentados na erva. Era bastante agradável apesar de muita gente não compreender o nosso entusiasmo por esses jogos.

CartuchosO meu estilo de jogo sempre foi passar o jogo legitimamente e acabar sem qualquer tipo de batota. Mas o meu irmão não era assim. Quando ele comprou seu primeiro Gameboy Color numa lojinha de usados aqui da zona, um colega seu lhe ofereceu um GameShark. Ele gostava de ter umas «pequenas vantagens» para quando o jogo ficasse difícil e assim não se esforçar muito.

Graças a essas «vantagens» ele acabou por estragar meu adorado Pokemon Blue. Todas aquelas horas de trabalho tinham sido perdidas por causa dos códigos de batota que acabaram por corromper o ficheiro de jogo. Eu chateei-me muito com ele na altura mas via-se o arrependimento na sua cara então eu decidi acalmar-me e não falar mais no assunto. Não tinha coragem de deitar aquele jogo fora, apesar de estragado ainda me trazia muitas memorias felizes por isso decidi guarda-lo.

Começavam agora as férias de Verão. Nesse verão nos mudamos de quarto e por isso os jogos ficaram guardados em caixas de cartão num monte que parecia não ter fim. Eu e meu irmão decidimos fazer um trato então. Resetar os jogos de Gold e Silver e ver quem chegava melhor e mais depressa ao Pokemon Trainer Red. Passado uma hora naquela pilha de caixas sem qualquer tipo de identificação lá encontra-mos o que desejávamos juntamente com os outros jogos, Gameboys e o maldito aparelho de batota.

Então lá começou o desafio. Eu sentado na cadeira da varanda e ele no seu quarto juntamente com todos os jogos que não usávamos e o GameShark. Foram uns bons inícios de férias.

Quando fomos verificar o processo de cada um ele já estava com duas insígnias de ginásio á minha frente, mas claro ele tinha usado os códigos de batota porque estava com dificuldades em passar alguns estágios do jogo. Eu não estava a conseguir passar o 4º Ginásio. Aquele Gengar estava a dar-me umas grandes dores de cabeça por causa do seu Hipnotizar.

Mas foi ai que começou o terror.

Alguns dias depois quando cheguei a casa depois de fazer uns recados para a minha mãe ouvi um grito muito agudo e o som de algo a despedaçar-se.

– AAAAAHHHHHHHH! – Gritou o meu irmão.

Eu fui a correr para o quarto dele para ver o sucedido.

Os cartuchos de Rubi, Safira, Esmeralda, Yellow e Red estavam despedaçados no chão juntamente com o que restava do Gameboy Color do meu irmão. Ele havia com o martelo despedaçado quase tudo o que tinha sobre Pokémon. Apenas restava o seu Pokémon Silver e o GameShark que também estavam no chão. Lá no meio dava para ver a versão Blue que tinha sido estragada pelos códigos de batota do meu irmão mas que tinha demasiado valor sentimental para deitar no lixo. Quando ele viu o meu gameboy no bolso ele imediatamente pegou nele e o atirou contra a parede. Eu corri para ver se ele estava bem e por sorte não se tinha estragado.

O meu irmão pálido como a neve apenas dizia em voz baixa:

– Ficou branco…… e depois preto….. Branco, preto – Dizia ele aterrorizado.

Eu gritei:

– MÃE! MÃE VEM DEPRESSA!

Fui demasiado apresado ao argumentar que aquelas férias tinham tido um bom começo.

No dia seguinte fui a ala psiquiátrica do hospital da zona para ver o meu irmão. Ele tinha ficado completamente arrasado. Mas, o que teria deixado ele assim? Fiquei bastante intrigado. Quando o vi lá deitado na cama do hospital ele olhou-me nos olhos e chamou-me para perto dele.

Sussurrou:

– Por favor mano, faz-me um favor. Livra-te daquele jogo e do GameShark. Nunca mais quero ver aquilo na minha vida. – Implorou o meu irmão que quase n conseguia falar.

– Ok. Está prometido – Respondi.

Depois disso fui para casa e subi ao quarto do meu irmão para arrumar aquela lixeira e cumprir a minha promessa de me livrar daquele jogo. Mas aquela pergunta não me saía da cabeça. Porque e que ele ficou tão assustado com o jogo?

De repente, no meio daquele pandemónio eu vi ao longe um pequeno caderno. Estava todo rabiscado com marcador mas dava para notar umas saliências no papel semelhantes a letras e números. Então decidi arrancar a folha e coloca-la na janela para ver se dava para ler o que la dizia. Então percebi que eram os códigos de batota que o meu irmão tinha apontado para usar nos seus jogos. No meio daquela barafunda de letras e números completamente aleatórios havia um dos códigos que estava mais marcado que os outros, um que até a tinta tinha passado para umas outras cinco folhas.

Em cima desse código estava o seu título em inglês: «Snow on Mt.Silver» que significa Neve no Mt.Silver, uma das últimas localizações possíveis de aceder no jogo.

Mas como e que um código que fazia nevar podia ser assim tão mau? Então eu peguei o jogo do meu irmão e ia coloca-lo no Gameboy mas… Fiquei a olhar para ele algum tempo. Este era o jogo que tinha deixado o meu irmão no estado em que estava. O que poderia ter ali que causasse tanto medo? Fiquei um bom tempo a olhar para a figura do Lugia que quanto mais tempo olhava, mais sinistro me parecia. Mas la ganhei coragem e decidi ligar o jogo.

Retirei o cartucho do Pokémon Gold e coloquei o GameShark com o Pokémon Silver e isto que vos vou contar foi tudo o que vi.

Quando selecionei «Continue» estava dentro do Mt.Silver já no segundo andar da caverna mas ela estava tudo menos normal. O ecrã estava com um formigueiro a simbolizar a neve igual ao formigueiro que aparece quando a T.V não tem sinal. O mapa estava ligeiramente azulado para parecer que estava congelado. Achei aquilo MUITO assustador e logo tentei sair da caverna mas aparecia no ecrã:

Cenario Mt.Silver– Eu não posso voltar agora.

Ai a coisa ficou muito assustadora. Tentei de tudo para sair daquele lugar mas quando tentei usar o Fly da Lugia apareceu:

– Não posso voar nisto.

Tentei a Escape Rope mas:

– Eu não posso voltar mais.

Como já tinha reparado que não havia maneira de fugir daquele lugar assustador então continuei pela caverna a dentro. Após alguns passos apareceu:

– Estou com frio.

E quando andei mais um pouco:

– MEGANIUM morreu.

Nesse momento assustei-me com a mensagem e fui ver o estado do Pokémon e arrependi-me na hora. Ele estava completamente desfigurado, a sangrar, com tom azulado e sem partes do corpo como se tivesse morrido com o frio. Tentei usar um Revive mas:

– É tarde demais.

CelebiNesse momento paralisei. Os meus pokémons ficaram todos com 6 de HP e com o tom azulado. A cada bocado que avançava um pokémon morria assim continuou ate que restou só o meu Typhlosion. Por fim entrei na caverna onde se situa o Red. Aterrorizado, caminhei em frente em direção ao último treinador e também o mais forte do jogo mas ao chegar ao lugar ele não estava la. Apenas uma pequena pokebola. Fui em direção á pokebola e para minha surpresa era um pokémon, mas era um celebi também desfigurado e com tom azulado como se tivesse sido congelado.

Não apareceu a barra de saúde nem o nível apenas apareceu:

– Celebi usou Perish Song.

Ai começou o formigueiro no ecrã e um som muito assustador como um grito agudo e estridente e o jogo ficou preto. Quando ele voltou estava numa caverna normal com um caminho estreito em frente. Como não havia hipótese de voltar para traz decidi continuar em frente. Verifiquei os meus pokémons mas tinham todos uma cruz vermelha em vez no seu sprite, todos exceto o meu Typhlosion que era o único que estava vivo.

Quando fui verificar o meu cartão de treinador ele estava sem uma perna e a sangrar por todo o lado. Depois continuem e segui em frente. Á medida que andava a gruta ia escurecendo e aparecia as mensagens no ecrã:

– Estou com frio.

– Mãe…

– Eu não posso continuar.

Finalmente vi o fim do túnel. Entrei numa sala completamente branca. Decidi então continuar a andar até que la no fundo estava o Red. Com o meu sprite sem uma perna e sem um braço continuei até ele. Como sempre apareceram os três pontos que ele diz quando se interage com ele.

– Treinador Pokémon Red deseja batalhar!

Batalha contra RedEle enviou o seu Venusaur também desfigurado como os outros pokémons mas estava no nível 0 e não tinha HP. Eu lancei o meu Typhlosion que só tinha 6 de HP. O Venusaur usou Struggle o que me retirou 1 de HP mas que causou a morte a ele próprio. E assim continuou para o resto dos pokémons dele. Blastoise, Charizard, Snorlax, Espeon, todos usaram a mesma técnica e morreram. O meu Typhlosion tinha agora 1 de HP e restava apenas o seu Pikachu. Quando Red o lançou o Pikachu usou Pain Split que retirou o meu último ponto de saúde. Depois disso tanto o meu Typhlosion como o Pikachu morreram nesse turno.

– Acabou – Disse Red no fim da batalha com o corpo todo desfigurado e com alguns ossos a mostra.

Depois disso o ecrã piscou as cores que o meu irmão tinha falado preto e branco. Apareceu

– Usou Destiny Bond

E depois começou aquele grito agudo e estridente outra vez.

Nesse momento desliguei o Gameboy e fiquei parado. Demorou algum tempo mas por fim acabai por me levantar. Peguei naquele GameShark e no Pokémon Silver e os deitei logo ao lixo. Corri para casa e peguei no meu Pokémon Yellow e o liguei. Parte de min queria ter a certeza que também não tinha sido contaminado pelo código de batota. Olhei para o meu Pikachu e ele me respondeu com um sorriso alegre. Depois desliguei a consola e passei a próxima hora a chorar num canto do meu quarto. Naquele verão, poucos foram os dias de sol e, a chuva caiu forte…

 

Fim?

Fonte: Video da CreepyPasta

Colaborador
Marcos

3 thoughts on “Snow on Mt.Silver

  1. as histórias parecem legais, a gente tenta acreditar mas fica difícil, pois varias dessas histórias creepy a propria gameshark desmentiu, exceto hypno xD

Deixar uma resposta