Análise a Pokémon Yellow Version (GB)

Análise a Pokémon Red Version & Blue Version

Saltar para a Conclusão

Devido ao sucesso que “Pocket Monsters” Red, Green e mais tarde Blue estavam a ter no Japão, em 1997 estreou uma série de animação baseada nos jogos da série. Ela conta as aventuras de Satoshi (Ash) na região de Kanto, esta personagem, que tem o mesmo nome que o criador da série Pokémon, espera ansiosamente pelo dia onde pode escolher o seu Pokémon oferecido pelo professor Okido (Oak no ocidente) para assim iniciar a sua jornada como treinador. Mas ele acorda tarde e por saber que está atrasado até sai de casa de pijama, e pelo caminho para o laboratório do professor encontra o neto dele, Shigeru (Gary no ocidente, é personagem que homenageia o histórico produtor da Nintendo Shigeru Miyamoto) que é o seu rival desde há muito tempo e já tinha escolhido o seu primeiro Pokémon, que tinha sido o último. Como o Professor já não tinha mais nenhum Bulbasaur, Charmander ou Squirtle para oferecer, ele deu ao Satoshi um Pikachu que tinha capturado recentemente, mas deu-o um pouco a medo pois ele era um Pokémon muito antissocial e não gostava de estar dentro da sua Poké Ball. A relação entre os dois não foi fácil de início, mas rapidamente se tornaram amigos e mesmo sem entrar na sua Poké Ball, o Pikachu segue Satoshi para todo o lado. E foi assim que começou essa aventura que se prolonga até aos dias de hoje.

1 - Ash e Pikachu

Figura 1 – Ash e Pikachu

O Anime só começou a ser transmitido nos EUA em 1998 e em 1999 na Europa, e como é sabido, foi transmitido de forma a conjugar com o lançamento das versões Red e Blue para assim impulsionar as suas vendas, mas em terras nipónicas era lançada mais uma versão dos jogos chamada de “Pocket Monsters Pikachu”. Esta é uma versão alternativa dos jogos originais que tem traços de inspiração do Anime e segue de alguma forma as aventuras vividas na primeira temporada, e foi lançada em 1999 nos EUA e em 2000 na Europa com o nome de Pokémon Yellow Version: Special Pikachu Edition, ou simplesmente Pokémon Yellow.

Este jogo começa de forma algo diferente em relação aos originais, saímos de casa em direção à Route 1 e aparece o Professor Oak a avisar para não ir para lá por causa dos Pokémon selvagens, mas de repente aparece um Pikachu selvagem e o Professor apanha-o. Depois vamos para o laboratório e lá está o nosso rival à espera de receber o seu primeiro Pokémon, mas existe um problema… Oak apenas tem um Pokémon em cima da mesa para oferecer e diz-nos para ir buscar a Poké Ball, mas no momento que vamos a pegar nela, o nosso rival, roído de inveja, empurra-nos e fica ele com o Pokémon. Oak entrevem e diz que apenas tem mais um Pokémon disponível para oferecer que é o Pikachu que tinha capturado há pouco, e ficamos nós com tal Pokémon como Ash no Anime. Ao sair do laboratório o rival desafia-nos para uma batalha e nela vemos que o seu Pokémon é um Eevee (ao contrário do Anime que foi um Squirtle), aquele Pokémon que pode evoluir para três formas diferentes (três, pois…).
Mas existe uma mecânica importante de falar sobre este Eevee que é para que Pokémon o rival vai evoluir o seu Pokémon inicial, e isso depende do nosso desempenho contra ele nas duas batalhas que temos cedo no jogo. A primeira é a do laboratório de Oak e a outra é a batalha opcional da Route 22 (rua de acesso à Pokémon League), e estas são as condições para cada uma das evoluções:

  • Se vencermos no laboratório e também na Route 22, ele evoluirá o seu Pokémon para um Jolteon;
  • Se vencermos uma batalha e perdermos outra, ou se vencermos a batalha no laboratório e ignorar a da Route 22, o seu Eevee evoluirá para um Flareon;
  • Se perdermos ambas as batalhas ou perdermos a do laboratório e ignorar a outra a evolução será para um Vaporeon.

Isto tudo só para dar vantagem ou resistência entre iniciais face ao desempenho nas batalhas contra ele, mas também influenciará quais os membros da sua equipa futura. Mas voltando ao laboratório, após a batalha o Pikachu sai da sua Poké Ball e segue-nos para todo o lado, podemos interagir com ele a qualquer momento e o Pikachu responde com a sua voz (a mesma do Anime) e com uma animação que mostra o seu rosto numa janela.

2 - Rosto Pikachu

Figura 2 – Janela de expressões do Pikachu

Mas este Pikachu tem diversas animações e expressões, varia muito do local onde nos encontramos, se está sob a condicionante de algum “Status Ailment”, a quantidade de HP que tem e o quanto gosta do treinador porque inicialmente não gosta muito de nós (como acontecia com Ash no Anime), mas à medida que o utilizarmos em batalhas e formos interagindo com ele, ele começa a gostar cada vez mais. Foi introduzido um sistema de felicidade ao Pikachu, algo que hoje conhecemos como uma mecânica muito importante nos jogos da série e isso teve início neste jogo, mas só com o Pikachu.
E este Pikachu é realmente único, só existe esse exemplar desta espécie em todo o jogo e mesmo trocando um Pikachu de outra versão, esse mesmo não nos seguirá nem terá a voz do Anime. E para dar mais um gostinho do Anime, o nosso Pikachu também não evolui quando lhe damos uma Thunderstone, mas só se ele gostar de nós caso contrário ele evolui sem problemas e deixará de nos seguir.

Uma outra particularidade do Anime neste jogo são os Pokémon que Ash captura e isso afeta os Pokémon que podemos encontrar ao longo da aventura. Na Viridian Forest por exemplo, não existem Weedles ou Kakunas, apenas Caterpies ou Metapods, mas também tem Pidgeys e ainda Pidgeottos (a nível 9!) por causa disso mesmo, para se poder ter a mesma equipa que o Ash nos momentos em que ele também teve esses Pokémon. Também é possível obter os 3 iniciais de Red e Blue mas de uma forma diferente do Anime. Em Cerulean existe uma rapariga que tem um Bulbasaur mas só nos dá se o nosso Pikachu estiver realmente feliz connosco (a tal situação da felicidade), na Route a Norte de Cerulean existe um rapaz que nos dá o Charmander se tivermos um espaço vazio na nossa equipa, já em Vermilion City, assim que vencermos o 3º Gym, uma agente Jenny oferece-nos um Squirtle que “causava problemas”.

Por falar no 3º Gym, o Lt. Surge em vez de ter três Pokémon tal como nos jogos originais tem apenas o seu Raichu e o mesmo se aplica a outros Gym Leaders que têm outros Pokémon e muitos deles com níveis bem mais elevados que nas versões originais sendo este um jogo mais difícil que os originais. Mas sendo este um jogo inspirado no Anime não falta aqui qualquer coisa? A Team Rocket com os tão bem conhecidos Jessie, James e Meowth pois claro! Eles estão presentes no jogo e dizem as parvoíces habituais, mas em vez de estarem apenas atrás do Pikachu, eles fazem parte de uma patente alta da Team Rocket (pelo menos é isso que dizem) e as batalhas contra eles são os dois contra nós ao mesmo tempo, mas com um Pokémon de cada vez como é claro. Eles têm um Ekans, Koffing e o Meowth (estas espécies não podem ser capturadas no jogo), mas faz falta o Lickitung da Jessie ou o Victreebel do James nessas batalhas porque eles também existem e tornariam as batalhas mais interessantes.

3 - Team Rocket

Figura 3 – Team Rocket

E esta versão ainda tem um minijogo que para o jogar o nosso Pikachu tem de conhecer o ataque Surf (apenas possível através do Pokémon Stadium), e depois de aprendido é preciso ir à Route 19 falar com uma personagem que está dentro de uma casa, e então podemos fazer surf com o Pikachu num jogo muito semelhante ao Excitebike da NES. E ao usar o Pikachu para fazer Surf no cenário, então podemos navegar com um Sprite do Pikachu numa prancha em vez do habitual que se parece com um Seel. Curiosamente, o Anime teve um episódio baseado neste minijogo.

4 - Surfing Pikachu

Figura 4 – Minijogo de Surf

Este jogo também introduziu duas novas funcionalidades, a do Colosseum onde os portadores da versão Yellow podem combater entre si usando regras para tornar as batalhas mais equilibradas, e ainda compatibilidade com o Game Boy Print, um aparelho que permitia imprimir algumas imagens dos jogos, sendo a mais conhecida a do diploma que se recebe caso se complete a Pokédex.

Figura 5 – Prova que o utilizador do Reddit Cranyx terminou a Pokédex em Pokémon Yellow

Para além destas referências à série de animação, em Pokémon Yellow foram corrigidas muitas coisas face às versões originais dos jogos. Os Movesets dos diversos Pokémon, ou seja, os ataques que podem aprender são um exemplo disso. Muitos na versão Amarela foram alterados, rapidamente reparamos que o Pikachu consegue aprender o Tail Whip e muitos outros movimentos que o tornam bem mais útil sem recorrer ao auxílio de TM’s, o Scyther já aprende um ataque do tipo voador, o Mankey e a Butterfree são dois Pokémon muito bons no início da jornada, mas também alteraram a compatibilidade de alguns Pokémon com TM’s e HM’s sendo o maior exemplo disso o Charizard que agora pode aprender o Fly.

Como o Game Boy Color ainda não existia no Japão quando Pokémon Yellow foi lançado, quando este jogo era jogado num GBC ele tinha uma palete de cores amarelas tal como os outros jogos tinham uma palete que correspondiam à cor da sua versão. As versões ocidentais deste jogo receberam uma lavagem gráfica no que toca a cores para tirar partido do Game Boy Color, sempre que mudamos de localização, como de uma cidade para uma rua, a cor do ecrã muda de forma a utilizar as várias paletes de cor que um Game Boy Color pode oferecer, algo interessante e útil para se saber quando se entra numa outra localização, mas o interessante é que a palete usada em cada cidade corresponde ao nome da cidade pois o tema usado para dar nome às cidades foram cores (sendo que as ruas são maioritariamente verdes, e as cavernas cinza ou castanhas) . Gostei bastante deste toque.
Isto das cores também se aplica aos Sprites do jogo, todos os Sprites frontais foram refeitos (e agora sim, os Pokémon parecem-se com as Artworks do Ken Sugimori) e os Pokémon têm a sua respetiva cor, algo excelente e que corrige uma das críticas mais negativas dos jogos originais. Mas os Sprites traseiros continuam iguais, com cor, mas iguais.

6 - Comparação Sprites

Figura 6 – Comparação de Sprites

Os Sprites de alguns treinadores também foram refeitos, principalmente o de Brock, Misty ou até o da nossa personagem, têm um ar semelhante à da série animada. Também a Cerulean Cave foi redesenhada por ser de alguma forma confusa nas versões.

Para além destas modificações, os muitos dos bugs e glitches foram corrigidos, o famoso MissingNo. já não existe, mas nem todos os erros foram corrigidos sendo que o principal de erro de cálculo de dano nos Pokémon com dois tipos continua presente.

Conclusão

Pokémon Yellow foi uma retificação muito interessante das versões originais onde o maior destaque desta versão enquanto jogo são os movesets e claro, os gráficos. É certo que esta versão Yellow é muito inspirada no Anime, mas não nos limita àquilo que acontece nele e podemos perfeitamente evoluir o Bulbasaur e o Squirtle ou usar uma equipa totalmente diferente da do Ash, e esse era um receio que em miúdo tive quanto a estes jogos que felizmente não se verificou porque foi mantida a base que torna Pokémon tão especial

A pergunta mais importante é, vale a pena jogar este jogo em vez de Red ou Blue? Eu continuo a preferir a experiência mais autêntica de Red e Blue, mas Pokémon Yellow é uma opção tão válida como as outras e embora seja por pequenos detalhes, é a melhor versão destes jogos.
Assim como Red e Blue, a versão Yellow também tem a sua versão Virtual Console na 3DS e tem a particularidade de agora ser possível o acesso ao minijogo do Surf sem qualquer Pikachu que possa surfar. Mas para tirar qualquer dúvida adicional sobre as versões originais de Pokémon, a análise a Pokémon Red e a Pokémon Blue também já está presente no site.

sig-BAlvez

Deixar uma resposta